30 de out de 2012

Aquele da menina que não canta nada

Fomos mamãe e eu para uma festa da parte evangélica da família do meu pai em que um dos meus primos iria cantar num recital. Quando chegou a vez dele cantar, subiu uma garota com ele no palco e eles acabaram cantando um dueto.

Até aí tudo bem.

Chegando quase no final da festa, já estávamos de saco cheio e queríamos mais era dar o fora dali. Como a educação manda, fomos lá mamãe e eu nos despedirmos e darmos os parabéns ao meu primo cantor. Ele estava sentado junto com a mãe, irmã e um grupinho de agregados, provavelmente da igreja deles.

"Nossa, mas você arrasou!", começou minha mãe, toda empolgada. "Você tem um vozerão, cara! Sério! Me impressionei, eu sabia que você sabia cantar, mas não que era tão bom assim. Você só podia ter cantado solo, né, porque aquela menina que cantou com você, ó. Vou dizer. Muito ruim, canta nada! Na-da! Afinal, quem é aquela garota?"

"Era eu.", disse uma das meninas que estavam no grupinho.

Eu olhei pra mamãe, mamãe olhou pra mim. Pedimos licença e nos retiramos.

"Que vexame, mãe."

"Cala a boca e anda rápido."

Um comentário:

  1. É, esse tipo de situação é bem corriqueira... Comigo pelo menos, por sempre desprezar o trabalho alheio.

    - Nossa, mas quem foi o pedaço de bosta que fez desse jeito?
    - Fui eu.

    - Quem foi o coliforme fecal que deu essa idéia?
    - Fui eu.

    - Quem foi o extrato de pó de ranho que pensou nisso?
    - Fui eu.

    ResponderExcluir