22 de out de 2011

Aquele da Loja VIRUS

Certa vez estava na casa do meu namorado com todos os dementadores (apelido carinhoso que dou à família dele) e como eu já contei aqui, eles tem uma certa fixação pela minha coleção de All Star. Uma vez começaram a discutir sobre como todos os dementadores deviam comprar um par para ficarem todos iguais como num grupinho exclusivo que segue as mesmas tendências e se igualarem a minha sofisticação de calçados.

"Mas onde você compra os seus, hein?" perguntou um dos primos.

"Ah, eu compro online na Loja VIRUS" eu respondi.

"Hahaha, Loja Vírus, hein? Saquei, saquei. Você entra na página e seu computador fica cheio de vírus. Muito boa essa, você é engraçado."

Eu não consegui fazer nada além de sorrir de volta. Imagina minha cara com o sorrisinho amarelo e balançando a cabeça, concordando.

"É. Pois é, me dizem muito isso."

Vou falar o quê?

8 de out de 2011

Aquele em que eu perco o espetáculo

Esses dias estava rolando a Jornada de Iniciação Científica lá na UFRJ e eu acabei sendo forçadotirando um dia para assistir uma rodada de apresentações, já que uma amiga minha estaria defendendo o trabalho dela. Então eu fui lá assitir.

Aquela coisa de universidade, né. Gente subindo ao palco pra contar o que estudou nos últimos N meses, conversa intelectual, falação, falação, blábláblá, gente fazendo perguntas, lálálá. Eu acabei saindo e entrando no auditório umas cinco vezes pra dar um rolé e respirar uns ares frescos. Na última vez eu voltei e algo estranho estava rolando lá dentro.
Mal sabia eu que eu tinha perdido um episódio épico da jornada.

"O que aconteceu aqui?" eu perguntei pro meu amigo, que fez um escândalo organizado assim que eu voltei.

"Amigo. Você perdeu. A menina pariu um brócolis! Um brócolis enorme saiu de dentro dela!" ele me disse.

"Ela pariu?! Um brócolis?!"

"É, um brocolis! Foi muito tenso."

"Como assim ela pariu um brócolis?! Do nada?"

"É, ela começou a gemer e de repente pariu um brócolis! E era enorme! E daí levaram o brócolis para uma caixinha e começaram a regar o brócolis com leite."

"Eu não estou entendendo. Ela estava apresentando um trabalho."

"É!"

"E do nada começou a gemer e pariu um brócolis?"

"Exatamente. Em cima da mesa."

"E daí regaram o brócolis com um regador cheio de leite?"

"Isso."

Daí exatamente nesse momento passa bem do nosso lado um pessoalzinho carregando uns equipamentos, uma caixa e um regador de plástico enorme.

"Aquele regador ali?"

"Ele mesmo."

"Eu não acredito que eu perdi isso."

E até agora eu não estou acreditando. Nunca mais eu subestimo uma apresentação acadêmica. Sabe lá o que mais esses intelectuais são capazes de fazer pra chamar atenção.