31 de jul de 2011

Aquele do Zelda Day

Eu nunca tive um Nitendo 64 e eu nunca joguei Zelda, mas ontem, dia 30, aconteceu um tal de Zelda Day lá numa praça de Ipanema. Um daqueles eventos que reune um grupo de nerds que curtem as mesmas coisas. Então juntamos eu, @bubucouto e mais alguns amigos e fomos para o tal "evento" no único propósito de ver gente vestida de verde e encher a cara.

Eu não sei bem o motivo, mas quando junta Bruno e eu para chegar em algum evento, nunca conseguimos chegar na hora. Teve uma vez que decidimos ver o bloco da Preta Gil e enrolamos tanto em casa pra almoçar que quando conseguimos chegar na praia o bloco já tinha terminado. Não foi uma coisa ruim porque o dia rendeu à beça, mas isso já é história para outro post. Mas continuando, dessa vez então o atraso não foi culpa nossa. O transporte público do Rio de Janeiro estava conspirando contra nós. Ficamos a vida esperando uma droga de ônibus passar e o ônibus nem tchum.

"Quer pegar o metrô?" Bruno me perguntou.

"Quero".

E fomos. Subimos a passarela da Presidente Vargas e não deu outra. DOIS do nosso ônibus passam. Mas OK, ainda tinhamos o metrô, pensamos ingenuamente. Hah. Quando chegamos na entrada do metrô, estava fechado.

Enfim. Nós acabamos brotando lá duas horas atrasados, a parada já tinha até terminado e só tinha sobrado lá as pessoas bebendo e fazendo social. Resumindo: Chegamos na melhor parte.

Tiramos fotos com as estátuas de Ipanema, gravamos um vídeo de um coqueiro que girava, participamos de uma pesquisa... Não deu duas horas eu já estava girando de bêbado e resolvemos brincar no playground. Subi no balanço num pulo. Não deu cinco minutos e a corrente enferrujada do balanço arrebenta, eu caio de joelhos no chão, meu óculos voa e eu começo a pedir ajuda para encontrá-lo. Não enxergo sem eles. O que foi que nós fizemos? Fingimos que nada aconteceu e demos o fora de lá.

Dia digno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário