2 de jul de 2011

Aquele da inveja

Acho que maioria das pessoas veem a inveja como uma coisa legitimamente ruim. Eu não consigo pensar assim. Sabe aquela coisa de mentira boa e mentira ruim? Quando você mente por uma boa causa, para ajudar alguém ou seja lá o que for, é totalmente diferente de você mentir para enganar ou ferrar uma pessoa. É a mesma psicologia. Há aquela inveja inocente do "ah, bem que seria legal ter acontecido comigo" e há aquela coisa absurdamente invejosa que você sente vontade de matar e esganar a pessoa à facadas por ela ter se dado super bem e você continuar na mesma merda.

Todo mundo sente inveja, e não venha me dizer que não, porque a gente sempre acha que a grama do vizinho é mais verde do que a nossa. É que nem notícia boa vinda de conhecidos, familiares, e às vezes até amigos. Honestamente, eu consigo me sentir genuinamente feliz, do tipo de dar pulinhos de alegria quando um amigo vem e me conta algo de bom que aconteceu com ele. Sabe, quando o amigo ganhou uma promoção foda ou começou a namorar, ou vai casar. Mas eu só tenho a impressão que essas coisas só acontecem alheiamente. É sempre o amigo que ganha uma oferta de emprego, é sempre o amigo que tá pegando o gostoso da boate, ou que está noivo depois de um relacionamento que já vai faz dois anos. É como se fosse uma avalanche de notícia ruim. Não que eu me sinta cheio de ódio das coisas boas que acontecem com os outros, mas qual é, são exatamente essas notícias que acabam te lembrando que você AINDA tá desempregado, que você AINDA não sabe o que tá fazendo da sua vida e que você AINDA não tem um namorado.

É aquela época que você para e pensa: Tá todo mundo se dando bem e a minha vida continua o mesmo monte de bosta. Mas isso a gente tem que encarar com uma coisa boa. Uma inveja boa. Não é como se a gente quisesse que nossos amigos/conhecidos/familiares estivessem na merda também. A gente até fica feliz por eles. A gente fica. Mas bem que a vida poderia dar uma notícia legal para nós também, que já estamos cansados de receber na cara. Sabe, só pra variar

Nenhum comentário:

Postar um comentário