22 de mar de 2013

Aquele em que só Jesus salva

Natália Klein uma vez disse "Todo medo, no fundo, está atrelado ao medo da morte" e eu guardei essa frase comigo para sempre porque fazia todo o sentido. Comprovei a teoria hoje voltando pra casa depois do estágio. Ao pegar o ônibus e passar pela roleta o cobrador me disse:

"Bom dia."

"Bom dia", retribuí.

Bom dia. Normal. Pessoas falam bom dia uma às outras no cotidiano o tempo todo, mas não parou por aí. Pensando que o colchete das normas básicas da educação social já havia se fechado, eu continuei meu caminho à procura de um lugar aconchegante que não estivesse pingando água de ar-condicionado de ônibus com defeito, mas o cobrador chama a minha atenção de volta.

"Ei!"

"Oi?"

"Só Jesus salva, hein!"

Momento estranho em que o cobrador fala pra você que só Jesus pra te salvar. Deduções de uma mente desiquilibrada começa a funcionar a todo o vapor. Obviamente as roupas que eu tinha escolhido no dia gritavam minha orientação sexual e o cobrador cristão resolveu aproveitar essa oportunidade certeira de repassar a palavra de Jesus para um pobre garoto mundano. Não, obrigada. Corri discretamente para o primeiro assento do ônibus, o mais longe possível do cristão freak.

Mas.
Ele.
Veio.
Atrás.
De.
Mim.

"Aceita Jesus", ele me disse. "Aceita Jesus nosso senhor no seu coração. Jesus te ama! JESUS TE AMA! Só ele salva, só ele! Jesus Salvador. Salvador!"

Creepy total. Ele dizia tudo tão pertinho de mim que eu sentia até a respiração dele. Pensei, fodeu. Me caguei todo. Não tinha NINGUÉM no ônibus, nenhuma testemunha, só eu, ele e o motorista. Estava cedo e as pessoas estavam vindo trabalhar, não voltando pra casa, era meu dia de sair cedo do trabalho. Fodeu, cristão cobrador homofóbico vai me matar, esquartejar e guardar os pedacinhos em sacos de lixo preto no bagageiro do ônibus e o motorista comparsa, também homofóbico, vai acobertar o crime. Pensei. Eu já conseguia visualizar o homicídio estampado na capa do jornal e minha mãe chorando no Balanço Geral do Wagner Montes pedindo justiça. Imagina a derrota? Assassinado por cobrador de ônibus? Ah não.

Só me tranquilizei quando outras pessoas começaram a subir no ônibus e ele passou a me esquecer e mirar sua atenção nelas.

"ACEITA JESUS, ACEITA! JÁ ACEITOU?"

Ninguém escapava, nem os camelôs, vendendo o docinho e o amendoim de cada dia. O que me perturbava era a questão que ele fazia de falar bem na cara da pessoa. Espaço pessoal pra quê? A criatura ou tinha algum problema ou resolvera fazer sua missão de vida atazanar a viagem de cada estudante ou trabalhador cansado que estudou e trabalhou o dia inteiro e só quer ter uma viagem em paz ouvindo seu iPod.

Faz favor, me erra, né.

3 comentários:

  1. hoje passei por uma situação semelhante.Estava indo para o elite da ilha do governador, quando um homem com a camisa escrito JESUS entrou no ônibus e começou a pregar.O homem que se dizia ex-usuário de drogas estava pedindo uma comtribuição de dois reais, isto é, que as pessoas comprassem uma caneta rídicula e um papel com a explicação do projeto de recuperação que ele faz.Não peguei o papel com a caneta que ele estava distribuindo para pessoas no ônibus.Então, o cara percebeu que estava com meu fone de ouvido,e que não tinha pegado o papel dele, resolveu falar os berros no meu lado.Eu só de birra não tirei o fone do meu ouvido. Quando levantei para soltar vi algumas pessoas dando dinheiro para e olhando pra mim como eu tivesse que fazer igual.Ridículo,não tenho nada contra as evangélicos, mas acho repugnate essa pessoas que ficam o dia todo pedindo dinheiro em nome de JESUS e, se você não der ficam olhando de cara feia para você.
    Pelo amo de Deus, né?

    ResponderExcluir
  2. As pessoas estão ficando obcecadas, desrespeitando o espaço alheio

    ResponderExcluir